Sarau Perifatividade de Maio: Parque Bristol

17

Desde janeiro de 2013, tomamos a decisão de entrar de vez no Fundão do Ipiranga, nos direcionando aos bairros que já estávamos em outras ações, mas agora com dedicação total, em especial no espaço do Mutirão de Moradia do Jd. São Savério, conhecido como Cirquinho. Com o espaço em reforma, estamos migrando para outros locais. Desta vez, chegamos no Parque Bristol novamente, na R. José Pereira Cruz. Um Sarau literalmente de família e de garagem, onde o perifativo Terno Maciel e sua família cederão o espaço para que pudéssemos realizar o lançamento da RevistaColetivo Súbito e o pocket show do Fino Du Rap, além da presença interestadual da amiga Tati Luanda Davis (MPL-RJ). Mesmo a chuva não atrapalhou a noite quente de poesias, músicas e calor humano!
Pode chegar que em junho, tem mais um Sarau Perifatividade
Fotos por Diego Soares, e Joao Claudio Moura Sinto

23 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 16 18 19 20 22

Anúncios

Daqui a pouco começa a 2ª Jornada pela Democracia!

 

2jornadapelademocracia

É daqui a pouco, as 11h. Começa a 2º JORNADA PELA DEMOCRACIA, uma série de debates com convidad@s especialíssimos sobre a conjuntura política e social brasileira, pela Internet na TVT ou ao vivo!

Além de uma boa prosa de pessoas super importante com as causas e temas dos debates teremos Coletivo Perifatividade bem representado por Terno Maciel numa prosa que contará também com Gabriel Medina, Reginaldo Lopes, Debora Silva Maria do Movimento Mães de Maio e nosso grande Gog Rep Nacional
NÃO PERCAM AO VIVO NA Rede TVT
Confira programação e nomes já confirmados da 2ª Jornada

Programação:

11h – Estatuto do Desarmamento: compensa andar armado?

12h30 – Guerra às drogas e a droga da hipocrisia

14h – Sistema carcerário ou ameaça aos direitos humanos?

15h30 – Autos de resistência: genocídio da juventude negra

17h – Alvo errado: não à redução da maioridade penal

18h30 – Por uma nova política de segurança pública

Debatedores até agora confirmados:

Douglas Belchior (Uneafro)
Adilson Paes de Souza (PM e USP)
Jacqueline Sinhoretto (Ufscar)
Alexandre Padilha
Dr. Carlini (Unifesp)
Pedro Abramovay (Open Society)
Rosane Borges (Geledes) GOG
Raimundo Bonfim (CMP)
Paulo Teixeira (PT-SP)
Reginaldo Lopes (PT-MG)
Margarida Salomão (PT-MG)
Gabriel Medina (Secretaria Nacional de Juventude)
Terno Maciel (Perifatividade)
Patrícia Junqueira (EACH-USP)
Angela Guimarães (Conjuve)
Angélica Comis (drogas, prefeitura)
Ivan Marques (Sou da Paz)
Iracema Araújo (CMDCA)
Laura Capriglione (Jornalistas Livres)
Rafael Custódio (Conectas)
Valdenia Paulino (Cedeca)
Cristiano Maronna (IBCCRIM)
Roberto da Silva (USP)
Gustavo Anitelli (Teatro Mágico)
Clovis Tadeu Dias (Projeto Travessia)

A 2ª Jornada pela Democracia vai acontecer no dia 24 de maio (11h-21h), na Rua Conselheiro Ramalho, 945, Bela Vista, São Paulo – SP

Para apoiar o projeto:

https://www.catarse.me/pt/jornadapelademocracia2

Nota Pública sobre as ações policiais no Fundão do Ipiranga

panico nas ruas

Nós, do Coletivo Perifatividade, coletivo cultural que atua desde 2010 nos diversos bairros da região “Fundão do Ipiranga” faz esta nota pública para relato e reflexão da atuação policial que ocorreu no dia 01/03/2015, porém que vem ocorrendo com certa continuidade aos finais de semana.

No domingo passado, primeiro dia de março deste ano, o Coletivo Perifatividade participa juntamente com o grupo de rap Pânico Brutal, o Projeto Crack Zero e diversos militantes culturais e comunidade, do evento “Pânico nas Ruas”, ocorrido na quadra da Vila da Paz. Evento bonito e importantíssimo para a cultura e região, trouxe mulheres de fibra para debaterem sobre o machismo, cantarem e apresentarem seus trabalhos artísticos. Um evento do qual temos orgulho em sermos parceiros.

Na última apresentação da noite, algumas pessoas que organizavam o mesmo souberam de uma ação para a dispersão de um baile funk duas ruas para cima de onde acontecia nosso evento, e para isto, policiais estariam munidos de balas de borracha e bombas de gás lacrimogênio. Um integrante de nosso coletivo se dirige ao bar em frente à quadra para usar o banheiro, e quando sai deste, vê policiais agredindo dois meninos que, para fugir dos mesmos, correram e entraram neste bar. O integrante questiona a ação do policial, e este o agride com cassetetes na cabeça, ombros, mãos, costas e quadris por diversas vezes.

Os policiais então se dirigem à quadra para “conversar” (conversa em tom arbitrário e agressivo) com os organizadores do evento. Sendo questionados pela agressão gratuita e sem motivação alguma, se enfurecem, e ao ouvirem a frase “Tem que tomar rajada” de um indivíduo, correm atrás de outro, pois ele tem o fenótipo padrão para repressão policial (jovem negro, num evento na periferia).

O integrante, ao dar entrada no hospital, para ser examinado e medicado pelas escoriações e hematomas sofridos, é informado pela atendente do mesmo que só naquele período era a quarta entrada no hospital por agressões policiais. Nosso integrante não teve nada mais grave e passa bem. Mas – não é de hoje – sabemos que este não é o destino de muitos jovens na periferia de São Paulo e do Brasil, devido à abuso de autoridade, pré conceitos, e a política higienista que este governo decreta, de forma cada vez mais contundente.

Devemos lembrar que o mesmo baile funk que acontece no Parque Bristol, também acontece na Vila Madalena, com as dores e as delícias de um baile: diversão, música, bebidas e drogas. Mas o resultado na Vila Madalena e no Parque Bristol é o mesmo? As abordagens policiais são as mesmas? A visão do jovem frequentador do baile funk do Parque Bristol e da Vila Madalena é a mesma pela polícia? Em qual destes dois bairros, o véu do racismo, da política higienista e genocida sobressai nos jovens, em especial os negros?

O que aconteceu com um dos nossos nos revolta, e nos deixa indignado sim. Somos trabalhadores, educadores culturais e sociais, militantes por um bairro mais consciente, com mais educação, cultura, saúde e principalmente empoderado da luta pelos seus direitos. E mesmo que não fôssemos. Ninguém merece ser agredido e humilhado na rua de sua casa, de seu trabalho cultural. Mas o que mais nos toca é que esta violência é com vários e várias. É todo dia, é cotidiana, mas não pode ser só mais um fato do cotidiano.

Não podemos mais aceitar a violência gratuita como algo natural. Deixamos esta nota em aberto para coletivos e pessoas que quiserem assinar.

Perifatividade na Virada Cultural 2014!

1

Coletivo Perifatividade, pelo terceiro ano consecutivo participa da Virada Cultural – Oficial! Para nós, é sempre um prazer e um orgulho estar levando o Fundão Do Ipiranga, que muita gente não conhece, para um palco do centro da Cidade. Ipiranga é muito mais que o Museu: tem uma periferia gigante, de gente e de histórias de luta, perseverança, que nos orgulha!
Estamos no Jd. Clímax, Parque Bristol, Jd. São Savério, Vila Brasilina, Vila Moraes, Jd. Maristela, Vila Liviero, Boqueirão, Heliópolis e vários outros bairros que compõe esse Fundão tão batalhador, e que transborda cultura!
Não conseguimos levar ao palco tod@s @s parceir@s, mas os levamos sempre no peito! Este ano, o Perifatividade fez uma ponte com Suzano, e com muita honra, convidamos o Sarau Literatura Nossa, parceiraç@s que não estiveram com seu palco neste ano, mas fazemos questão que estivessem conosco.
Na música, fomos #Perifatividade total, com grupos que estão conosco em todas as ações, seja por terem membros do Coletivo, ou estarem mensalmente conosco no Sarau Perifatividade no Mutirão, como a Banda Rinha de Galo.
Confiram as fotos de Rafael Tinel e Patricia Candido!
“É o Sarau do Perifa em atividade, seja bem vind@ e fique muito à vontade!”. Confira essas e mais fotos no Facebook

1.1 1.2 1.3 1.4 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29

Coletivo Perifatividade participa do Ato São Paulo 2014: 460 anos de genocídio!

O Coletivo Perifatividade, junto com grupos de rap representativos do Fórum de Hip-Hop do Ipiranga marcaram presença no Ato São Paulo 2014: 460 anos de genocídio da juventude pobre, preta e periférica, organizado pelo Fórum Municipal de Hip-Hop, que ocorreu neste sábado, 25/01 na Praça da Sé! Diversos grupos de rap militantes participaram do ato juntamente com a população de rua, que ficou presente o tempo todo e também parte das pessoas que frequentavam o local naquele momento. Importantíssima a fala de um dos moradores, que agradeceu a presença do ato e de quem estava participando, mas atentou que a realidade de quem vive nas ruas é extremamente difícil, e só quem vive sabe. Diversas falas importantes foram expressas, e movimentos negros estavam presentes, como o SIJIM e o NCN (Núcleo de Consciência Negra), além de uma  representante dos Guarani-Mbya, que fez lembrar que o genocídio indígena é tão caótico quanto o negro e ambos devem se unir nas lutas. Rappers do Fórum de Hip-Hop mandaram seus sons, além do Coletivo Perifatividade nas poesias e rap, com Terno MC & Diego Soares. Confiram as fotos e os vídeos  por Ana Fonseca, Paulo Rams e Jornal A Nova Democracia: CSC_0090 DSC_0001 DSC_0002 DSC_0003 DSC_0004DSC_0007 DSC_0008 DSC_0009 DSC_0010 DSC_0011 DSC_0014DSC_0016DSC_0018DSC_0021DSC_0024DSC_0026 DSC_0027 DSC_0028 DSC_0029DSC_0033DSC_0036 DSC_0037 DSC_0038 DSC_0039 DSC_0040DSC_0043 DSC_0044 DSC_0045DSC_0048DSC_0051DSC_0054 DSC_0055DSC_0057 DSC_0058 DSC_0059 DSC_0060 DSC_0062 DSC_0064 DSC_0065 DSC_0066DSC_0072 DSC_0073 DSC_0074DSC_0078DSC_0081 DSC_0082 DSC_0084DSC_0088

Sarau Perifatividade nas Favelas – 10 anos do E.C. Favela 21/04/13

Image

Sarau Perifatividade nas Favelas de abril foi em clima total de festa: comemoramos, junto ao Esporte Clube Favela, 10 anos de existência e resistência do futebol de várzea da região do Parque Bristol. Tendo como diretor o MC e líder comunitário, além de sempre parceiro de nossa caminhada MCTerno, fizemos um Sarau maravilhoso, que aliás, sempre é no Bristol: toda comunidade participa em peso – crianças, adultos declamam poesias, cantam, vibram e participam de todos os momentos, não só do Sarau, mas de toda a festa. Falando em crianças, Rayanne e Kauanne se tornaram especiais para nós por estarem presentes em todas as nossas ações, sempre compartilhando as poesias ou participando dos cines no Maloca Espaço Cultural. Tiveram um espaço dedicado no livro “Antologia Coletivo Perifatividade vol. 2” e também ganharam nossos livros. É uma satisfação enorme para nós quando o objetivo é alcançado com alegria, participação imensa da comunidade, e nos dá cada vez mais gás para continuarmos sempre nesta luta! Confira as fotos tiradas por Ana Fonseca

ImageImageImageImageImageImageImageImageImageImageImageImageImageImageImageImageImageImageImageImageImageImageImageImage

Alunos da E.E. Dr. Álvaro de Souza Lima são proibidos de participar da 3ª Caminhada da Paz pela diretora!

Aconteceu dia 06/02/2012 no SASF (Serviço de Assistência Social à Família) Chico Mendes, localizado no Jardim São Savério, mais uma reunião de construção da III CAMINHADA PELA PAZ, que ocorre na Região de Parque Bristol, Jardim São Savério, Vila Livieiro, JD Clímax, e Jardim Maristela, alguns bairros do Fundão do Ipiranga.

A Reunião contou com varias personalidades importantes nas comunidades, porém o assunto que ocupou 90% foram as postagens deste blog, que divulga as denúncias de professores, alunos, e suas famílias, sobre o trabalho da direção, as condições da escola e as propostas para resolver tais situações.

A situação da Escola Estadual D. Álvaro de Souza Lima foi o pontapé inicial para que fosse construída uma politica de paz  na região, pois a escola há anos vem sendo apontada entre as 5 piores do Estado de São Paulo. Esta mesma escola  já foi alvo de inúmeros atos de vandalismo que chamaram a atenção da imprensa nacional. E foi por este e outros motivos que hoje a  Dr. Álvaro de Souza Lima seria peça fundamental na III Caminha da Paz, mas…

A Diretora Adriana esteve pela 1° vez em uma reunião sobre a Caminhada da Paz, e disse que a escola não irá liberar nenhum aluno para a caminhada, e que todos os alunos estão PROIBIDOS (atenção para a palavra e o peso da mesma) de tocarem no assunto nas dependências da sua escola.

Disse ainda que os professores que tomaram parte contrária a sua nas discussões escolares são mal intencionados, e completou acusando-os de não terem compromisso com a educação, pois só davam aulas de segunda à quarta feira, e liberavam os alunos das aulas.

A Diretora Adriana ainda fez uma proposta indecente à Associação de Moradores Vila da Paz: disse que só liberaria os alunos, se o blog retirasse ou corrigisse as informações e denúncias postadas.

Seria até justo, se fossem  inverdades, ou se tivéssemos a autoria dos textos.  Mas o Blog não tem “rabo preso” com ninguém, e apenas divulga informações de interesse da comunidade.

Ano passado estivemos em uma reunião na escola, e fomos destratados pela diretora, que ignorou a presença de membros da comunidade, pais e alunos.

Ela disse que o blog não é serio, mas a pergunta que fica é: alguém já achou graça nas postagens deste blog? Ou nos relatos e denúncias apresentadas?

Infelizmente, ou felizmente nossas postagens são de LUTAS , BATALHAS, algumas com finais felizes, outras nem tanto. MAS, SIM, É LUTA PELOS DIREITOS DO POVO.

É triste em plena discussão de Caminhada da Paz uma diretora que, sem ao menos consultar a APM e próprios alunos, os proíbe de fazerem parte, ou sequer FALAREM sobre um ato que com certeza está transformando a comunidade e a sociedade em geral,e proibindo um ato de cidadania, porque acha que sua moral foi ferida. Já que a profissional da educação se sente com a razão em relação ao fato, deve saber que a democracia é pra todos.

E mas uma vez dispomos o blog para direito de respostas.

Seguem abaixo links de veículos que também divulgaram denúncias em relação à escola.

  Hip Hop na Escola Semana de africanidades

 Educadores em Luta

2° Pior Escola

Folha Educação

 Maria Frô

Coletivo Perifatividade

PCO 

Portal R7 

APEOESP 

Globo.com 

MOBILIZAÇÃO – FAVELAS em AÇÃO!

Hoje foi um dia importante de LUTA, contra a política de despejos e remoções implantado pela Prefeitura e Governo do Estado. Moradores de muitas comunidades espalhadas por São Paulo se reuniram em frente ao Pátio do Colégio e de lá saíram em caminhada pelo centro da cidade parando em alguns organismos públicos para documentar carta de repúdio e protestar contra ações deliberadas e sistemáticas de limpeza social e remoção de milhares de pessoas dos seus lares. Representantes de algumas comunidades denunciaram que a ação dos agentes públicos se dá de forma truculenta, inclusive contando com apoio de “jagunços” para intimidar e expulsar as famílias de seus lares. Sem qualquer proposta habitacional para atender as famílias removidas, a prefeitura apenas sinaliza com o “cheque despejo”. Entretanto o movimento está organizado para enfrentar essa política fascista de remoções. Força e resistência para as comunidades ameaçadas.

Líder comunitario é espancado por PM´s no Parque Bristol.

Parceiro Terno: ( Organizador  do ESPORTE CLUBE FAVELA, membro de comissão e organização da 2º CAMINHA DA PAZ,  um dos líderes  do MALOCA,  Núcleo  PODER E REVOLUÇÃO e membro do COLETIVO PERIFATIVIDADE, além de MC do grupo PÂNICO BRUTAL).

Guerra é guerra. Durante a contagem regressiva para a Caminhada da Paz

– que será no dia 27/05 – a polícia mostra, ainda uma vez, quem é e a

que veio.

Na última sexta-feira, 06/05, Maciel Mota de Almeida, de 35 anos, uma

importante liderança comunitária da região do Parque Bristol e

arredores, foi pública e brutalmente agredido por policiais da Força

Tática.


Terno, como é conhecido, acompanhava a ação dos PMs que punham fim em

um baile funk que vinha, literalmente, “tirando o sono” dos moradores

da Rua Jorge Morais, Parque Bristol, Zona Sul de São Paulo.


Ironicamente, a vítima havia acabado de postar em seu blog 

(http://futebolrapesamba.blogspot.com) um elogio à ação dos soldados

quando, em uma abordagem surpreendente e truculenta, foi agredido a

socos e revidou. Sua reação causou grande tumulto, pois a população –

vendo o ato de covardia – teria entrado na briga.


O episódio gerou uma denúnica na corregedoria, para os soldados, e um

boletim de ocorrência por desacato à autoridade, para Terno. Veja, na

íntegra, seu depoimento:


De: Du & Dinha

Assembléia das Comunidade sobre Despejo Na Subprefeitura.

Vitória Brasília de Souza Lima
Subprefeita do Ipiranga
A coronel da Polícia Militar Vitória Brasília de Souza Lima, assumiu a Subprefeitura Ipiranga no dia 06 de outubro. Ela atuava como chefe de gabinete da Subprefeitura de Vila Mariana. Antes disso, foi chefe de gabinete da Subprefeitura de Campo Limpo. 
Nascida em 29 de dezembro de 1947, a subprefeita saiu da Academia Militar em dezembro de 1972 e trabalhou na Polícia Militar durante 32 anos, tanto na área operacional quanto na área administrativa. 
É formada em Direito pela USP, Na administração pública municipal, o grande interesse da subprefeita é pela área social. Moradora da zona norte da capital.

Ontem dia 27/04 as comunidades Vila da Paz, Vila Cristina e JD. Savério que se encontra em ameaça de despejo pela prefeitura de Sao Paulo se reunirão com representantes dos órgãos publicos para discutirem o assunto Moradia.
A Comunidade esteve presente em grande numero, lotanto a sala de reunião, muitos tiveram que ficar em pé.
A Sub Prefeita Cel. Vitoria, começou sua fala dizendo que estava ali para conversar e não aceitava AVACALHAÇÂO ( coisa de boi né ?), Falou que começaram o cadastramento porque o IPT Traçou a area como de risco 2, 3, e 4. Que são 271 casas em risco alto e que de fato terão que ser removidos.
O Povo: Concorda que nos casos de alto riscos tem que sair sim, Mas se os casos Não for de alto risco, a prefeitura tem que 1° providenciar moradia, pra depois desapropriar a area, ja que não ha historico de desabamento, soterração e nem inundações na area. E reprova o auxilio aluguel proposto sem a garantia de habitação.
Que tem que ter projeto habitacional, senão o povo volta e ocupa a area desocupada novamente
O Secretario da SEHAB Sr Luiz: Disse que tinha boas noticias, que tem um plano municipal para habitação, o primeiro passo seria nós, o povo aceitar o auxilio aluguel por prazo de 30 meses, e que esse prazo seria renovado até sair programa para atender as familias, Disse que há 1000 moradias para a cidade de São Paulo
O Povo: Não aceitou o valor de R$ 300,00 e não acredita que tenha verba para prorrogar o prazo após os 30 meses,
PROPOSTA: Ja que tem verba pra pagar auxilio aluguel e prorrogar os 30 meses, Que use esta verba na construção de moradias.
Quanto as 1000 moradias estas são para a Cidade inteira, mas só na nossa Comunidade são mais de 4.000 Familias.
Informamos que existe muitos terrenos na região, e sugerimos a desapropriação destes para construção de moradias.
Que na Comunidade existe cerca de 400 apartamentos fechados e que estes fossem entregues aos moradores da comunidade. Pois os contemplados para tais apartamentos (funcionarios Publicos) se recusam a residir ali.

Cel. Bento: Disse que a intervenção e convocação para cadastro ao qual as paredes das casas foram pichadas e moradores obrigados a posarem pra fotos e sem direitos de imagem esta dentro da lei. Tudo isso com acompanhamento da GCM e da PM.

O Povo: Todos sabemos que vigora a lei da cidade limpa, que pichação é crime, que policia militar é pra proteger e servir, e não para fazer escolta a funcionários públicos como fizeram no dia em que fizeram terrorismo na comunidade Vila da Paz. Que temos direito a moradia e brigaremos por este direito até o fim.
Deputado Jose Americo: Tambem esteve presente na assembleia, disse que é um desrespeito o modo que o povo esta sendo tratado. Que o IPT apesar do seu belissimo trabalho não é Deus, e que seu trabalho pode e deve ser contestado, Que a lei diz que tem que haver laudo individual para cada moradia e tem que ser assinado por 2 engenheiros para especificar qual residencia esta em area de risco e qual o grau deste, Coisa esta que a prefeitura não fez.
O Deputado Solicitou verbalmente o laudo do IPT para que este seja estudo, e se prontificou a pedir este laudo tambem formalmente aos orgoes competentes.
Criticou a postura da subprefeita de fazer uso da Policia Militar sem necessidades.
O Povo: Agradeceu a presença do Deputado Jose Americo e suas palavras, espera que o deputado possa representar nossa comunidade cumprindo o seu papel.
os populares agradece. 
Dito UMM: Lembrou bem que a sub Prefeita Cel. Vitoria cumpriu com a sua palavra da reunião passada, onde prometeu esta assembleia com as comunidades, e que iria trazer o Secretario de Habitação para a reunião. Prometeu e tambem cumpriu com a interdição dos cadastros na comunidade.
Disse que não ha verba nem para atender as 72 familias da Favela do Boqueirão, quanto mas pra atender nossa comunidade que tem mas de 4 mil familias.
Reforçou que o povo quer propostas dignas, que concorda com qua as casas que o risco é real seja demolidas, mas que haja assistencia garantida até sair a moradia definitiva.
Extra: A subprefeita se viu em saia justa, quando foi questionada pelo povo sobre o seu deboche com algumas falas, recebeu uma vaia que estremeceu a regional toda.
Tentou se explicar dizendo que não zombava dos presentes, e que aquele era o seu jeito.
O suor desceu, O corpo dela tremia feito vara verde.
E olha que não houve AVACALHAÇÂO isso é coisa de Vaca.

A imagem e identificação da Subprefeita pelo portal da prefeitura:
http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/subprefeituras/ipiranga/organizacao/index.php?p=158