Cineclube Perifatividade – Os Irredentos

Dia 22 de junho, recebemos em nosso Espaço Perifatividade Círculo de Cultura o EJA (Educação de Jovens e Adultos), mais uma galera muito legal da nossa tão querida EMEF Olavo Fontoura para a exibição do documentário “Os Irredentos”, do Levante Popular da Juventude.

Foi uma noite mágica: além da presença dessa galera linda, também recebemos a professora Marisa Sensato, coordenadora da Universidade do CEU Parque Bristol (UniCEU), divulgando os cursos da Universidade gratuita, um foco de resistência nesses tempos de gestões golpistas por todos os lados. Após isso, assistimos este importante documentário, que relata a luta de guerreiras e guerreiros na época da ditadura militar, fato histórico que era tão distante de nós, e que se torna cada vez mais próximo de um retorno.

Também rolou bate-papo e uma aula informal com o nosso convidado do Cine, nada mais, nada menos que Adriano Diogo, que foi militante da Aliança Libertadora Nacional (ALN), ex-preso político, ex-deputado estadual, professor e eterno militante de uma sociedade mais humana, justa e igualitária, além de chá para aquecer os corações em noites frias, pipoca e muito chamego nos perifadogs Amaru e Xondaro

Foi uma noite memorável que nem nós, nem Diogo e nem todxs xs participantes esquecerão!!

Confiram as fotos por Ana Fonseca

Anúncios

Sarau Perifatividade na Biblioteca: Onde Estaes Felicidade?

3

Encerramos as nossas ações de 2014 na Biblioteca Amadeu Amaral pelo Programa Literatura Periférica: Veia e Ventania nas Bibliotecas de São Paulo, com chave de ouro! Nada melhor que um lançamento literário que envolve Carolina Maria de Jesus, organizado por uma referência literária de nossa quebrada!
E assim lançamos “Onde Estaes Felicidade?”, livro com dois textos inéditos de Carolina Maria de Jesus, de organização de nossa poetisa do Fundão do Ipiranga Dinha Maria Nilda e Raffaella Fernandez, em parceria com a editoraCiclo Contínuo e a Fundação Cultural Palmares.
Também tivemos a presença de Luciana Lima, neta de Carolina Maria de Jesus e seus bisnetos, e todos os colaboradores desta obra, que ganharam seus livros customizados, além de uma intervenção em stêncil art por Fininho( Sarau Arttude)
Para musicar este dia tão especial, nada melhor que os nossos: Pânico Brutal e Vinão Alobrasil, além da Família Crack Zero, parceira e sempre presente!
Agradecemos e muito à: Helena Santos (coordenadora da Biblioteca Amadeu Amaral), Rosa Maria Falzoni, Heloisa Bonfanti, Giuliano Tierno e demais pessoas do Sistema Municipal de Bibliotecas (SMC), pela oportunidade e realização desses dois anos de atividades!
Até 2015!

1 2 4 5 6 7 8 10 12 13 15 16 17 18 19 20 21 22 23

O Fundão do Ipiranga pede socorro!! Casos de violência policial no Parque Bristol continuam sem solução!

desaparecido1

Via: Centro Gaspar Garcia de Direitos Humanos

Entidades entregam hoje dossiê na Secretaria de Segurança Pública pedindo posicionamento

Após assassinato do policial militar Edson Santos da Silva, no dia de 18 de outubro, na região do Parque Bristol, diversos casos de violência policial vêm sendo relatados no local e em bairros próximos como Jardim São Savério, Jardim Celeste, Vila Cristina e Vila da Paz. Depois do ocorrido, os policiais decidiram fazer justiça com as próprias mãos, incluindo agressões físicas, ameaças a moradores com arma de fogo, arrombamento de moradias e destruição de móveis. Há denúncias de torturas e de um desaparecimento, além do possível envolvimento dos policiais na morte de um jovem, que necessita apuração por parte da Secretaria de Segurança Pública.

Bruno Lúcio da Rocha, a primeira vítima, desapareceu entre os dias 18 e 19 de outubro e foi visto em uma viatura das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (ROTA). Na noite do dia 21 de outubro, parentes encontraram seu corpo no IML. Luciano Santos Meneses foi visto na mesma viatura com Bruno, mas, desde então está desaparecido. Uma moradora relata que já procurou seu corpo em todas as unidades do IML da cidade, sem sucesso.

Moradores relatam também que tiros foram disparados dentro de um centro comunitário chamado Maloca, no dia 19 de outubro. Lá, uma pessoa teria sido baleada, mas os moradores foram impedidos por policiais de acessar a pessoa, que até o momento não foi identificada.

Uma reunião está marcada para hoje, às 17h, na Secretaria de Segurança Pública (Rua Líbero Badaró, 39 – Centro), onde um dossiê será entregue para Eduardo Dias, assessor do Secretário de Segurança Pública, Fernando Grella, pedindo:

1- Investigação sobre as mortes e desaparecimentos de modo a verificar se há ligações entre as mortes e a ações destes policiais e se há outra motivação;

2- Levantamento de todas as viaturas que promovem ações ostensivas na região do Parque Bristol para verificar e punir as violações de direitos humanos;

3- Investigação sobre a morte de Bruno Lúcio da Rocha e realizar buscas para encontrar Luciano Santos Meneses de modo a verificar as motivações dessa morte e o desaparecimento de Luciano;

4- Investigar as agressões, as invasões de domicilio e as ameaças contras crianças e moradores na região do Parque Bristol, do Jardim São Savério, da Vila Cristina e do Jardim Celeste;

5- Cessar imediata e completamente o toque de recolher que tem sido imposto aos moradores pelos policiais.

O documento também será enviado para: Secretaria Nacional de Direitos Humanos, Secretaria-Geral da Presidência da República, Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, CONDEPE (Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana), Defensoria Pública de São Paulo, Promotoria de Direitos Humanos do Ministério Público, Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal de São Paulo e da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, Ouvidoria da Polícia Militar.

Está difícil (para Bruno, Luciano e os meninos do Fundão do Ipiranga)

Por: Ana Fonseca

Está difícil pensar nas coisas,
Está difícil pensar nas contas,
Está difícil pensar nas festas
Está difícil pensar na balada,
Na risada,
Se na quebrada,
Se vão meninos, mortos, torturados, espancados
Por nada.
Está difícil pensar na próxima reunião,
Horários baterem então?
Está difícil pensar na falta d’água
Se pra mãe do Bruno lhe falta o filho.
Está difícil pensar nas chaves
Está difícil pensar nas trancas
Se o coturno do mal invade minha porta.
Não posso mais ter uma vida de novela,
Não posso mais ter uma vida de estética,
Ser alienada seria mais fácil, porém…
O filme,~não~,
A vida de terror está fincada.
Ali, no Parque Bristol. No Savério.
Do lado de casa.