Contra o Golpe e pela Democracia hoje no Vale do Anhangabaú

image

Hoje às 11:50 estaremos no Vale do Anhangabau, junto com nossa família Pânico Brutal, CONTRA O GOLPE no ato BRASIL PELA DEMOCRACIA!
Encosta no ato, acompanhe a votação conosco e vamos bater de frente com essa máfia golpista!
#nãovaitergolpe #periferiascontraogolpe #perifatividade #caminhonovo #luta

Coletivo Perifatividade marcando presença no Ato Canto pela Democracia, dia 31 de março, na Praça da Sé

12592534_972289876201464_5189542874689508490_n

O Coletivo Perifatividade, como é e sempre foi sua bandeira – a luta social e a defesa dos Direitos Humanos – esteve presente em peso no Ato “Canto pela Democracia”, ocorrido no histórico dia 31 de março, na Praça da Sé, organizado pela CUT, Frente Brasil Popular, Povo sem Medo e outras organizações.

Encontramos guerreiros e guerreiras de luta, que estão muito além da arte, como o mestre Sérgio Vaz, toda a rapa da Cooperifa, o pessoal do Fórum Municipal de Hip-Hop, entre outros. Como sempre, não ficamos em cima do muro nunca, e muito menos diante de um momento tão tenso que estamos vivendo…

Embora tenhamos companheiras e companheiros em visões e posicionamentos diferentes, este é o momento de lutar pelo que nos une, e não pelo que nos separa, como diria o grande Milton Santos.

Convidado pelo companheiro Jadir Bonacina, colamos no carro de som com muito orgulho de fazer parte daquele momento histórico, para a cidade e para o País. E juntão com todo o povo presente, nos apresentamos e cantamos Brava, aos gritos de #nãovaitergolpe, vai ter LUTA!

Máximo respeito e satisfação de participar deste grande Ato, que ainda contou com a linda fala de nosso padrinho e griot Dito!

Confiram as fotos por Doulgas Mansur (Celeiro de Memória)

12932941_972274529536332_3427725553288708478_n 12439091_10201768608773993_96835030585334526_n 12670357_972275709536214_1696097550133602675_n 12670518_972275929536192_4085324587351240212_n 12670810_972275886202863_2118263149618724652_n 12919863_972275909536194_8918199818632151431_n 12923257_972275809536204_1810762224844788170_n 12932791_10201768608253980_445220128177468653_n

Perifatividade convida: #periferiascontraogolpe

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18

20
D’Grand’stilo

21 1918072_1151621701515753_64356739863959077_n 11181286_1151621358182454_4032433681327836082_n 12512368_1151620891515834_4665482031564149243_n 12670481_1151621028182487_7249480375467968897_n 12920504_1151622034849053_8016159385446577421_n 12931037_1151621304849126_6565528426185613273_n 12931172_1151621971515726_2057990401979407306_nPerifatividade convida: #periferiascontraogolpe

O Coletivo Perifatividade, não ficando em cima do muro e tendo um lado, como sempre, nesta conjuntura política tensa e perigosa, em um movimento de diversosa coletivos periféricos de São Paulo, organiza o “Perifatividade convida#periferiascontraogolpe em nosso Quilombo, Parque Bristol.
A Rua José Pereira Cruz, conhecida como Rua 2, ficou cheia de lambes poéticos d@s integrantes do Coletivo, preparando e anunciando nosso Ato cultural para o domingo de Páscoa (27), assim como nosso perifamóvel circulou diversas ruas dos bairros do Fundão, com a vinheta feita especialmente para o dia!
Um dia antes, aproveitamos e ensaiamos no Ceu Pq Bristol, o que seria nosso repertório para domingo. E falando em Páscoa, distribuímos mais de 300 chocolates para nossas crianças do Bristol!!!
Veja só quem colou e somou forças neste Ato Cultural importantíssimo! Fazer atos no centro é importante, mas o trabalho de base nas quebradas é fundamental!
Entre falas e versos de poetas, poetisas, MC’s e líderes comunitários de nosso chão, muitas ideias pertinentes sobre a mídia golpista, luta de classes e, é claro, em um grito só, a periferia fala:
#Nãovaitergolpe

Contamos com a presença de: Dona Bernarda, Dito, Fátima, Graça, Tereza Lara, D’Grand’stilo (Fanti e Odilo) ,Allan da Rosa, Carol Protesto e muitos parceiros e parceiras que somaram,,,

Perifatividade convida #periferiascontraogolpe no Fundão do Ipiranga, neste domingo!

AuC70bnqH8IDtW-KLD3Qoaa2HF2vEfUpTLptIopxzSOj

O Brasil está passando por um momento muito perigoso. Pedidos de Impeachment, grampos telefônicos ilegais e uma mídia fazendo sensacionalismo com os fatos, nos escancara que estamos diante de um golpe. Porém o ato de 18/03 mostra que as ações não devem ocorrer somente na Av. Paulista, mas as periferias também se mobilizam contra este golpe e a favor da democracia. Nós periferic@s, somos @s que mais sofrerão caso ele aconteça.
Nenhum retrocesso aos nossos direitos conquistados por muita luta!
Por isso, CONVIDAMOS E CONVOCAMOS GRUPOS, ARTISTAS E COLETIVOS DA REGIÃO, para realizar conosco o Ato Cultural‪#‎periferiascontraogolpe‬.
Domingo, 27/03 as 16hs na Quadra da Favela da Paz
Rua José Pereira Cruz – Pq Bristol
“Se não formos nós, quem? Se não for agora, quando? “

Confirme sua presença aqui

As quebradas levantam a voz: #periferiascontraogolpe

image

Manifesto #PeriferiasContraOGolpe
Manifesto #PeriferiasContraOGolpe – ATUALIZADO COM ASSINATURAS
Assine aqui http://goo.gl/forms/uRO7OhHkuf

“Periferias, vielas, cortiços… Você deve estar pensando o que você tem a ver com isso”

Nós, moradoras e moradoras das periferias, que nunca dormimos enquanto o gigante acordava, estamos aqui pra mandar um salve bem sonoro aos fascistas: somos contra mais um golpe que está em curso e que nos atinge diretamente!

Nós, que não defendemos e continuamos apontando as contradições do governo petista, que nos concedeu apenas migalhas enquanto se aliou com quem nos explora. Nós, que também nos negamos a caminhar lado a lado de quem representa a Casa Grande.

Nós, periféricas e periféricos, que estamos na luta não é de hoje. Nós, que somos descendentes de Dandara e Zumbi, sobreviventes do massacre de nossos antepassados negros e indígenas, filhas e filhos do Nordeste, das mãos que construíram as grandes metrópoles e criaram os filhos dos senhores.

Nós, que estamos à margem da margem dos direitos sociais: educação, moradia, cultura, saúde.

Nós, que integramos movimentos sociais antes mesmo do nascimento de qualquer partido político na luta pelo básico: luz instalada, água encanada, rua asfaltada e criança matriculada na escola.

Nós, que enchemos laje em mutirão pra garantir nosso teto e conquistar um pedaço de chão, sem acesso à terra tomada por latifundiários e especuladores, que impedem nosso direito à moradia e destroem o meio ambiente e recursos naturais com objetivo de lucro.

Nós, que sacolejamos por três, quatro horas por dia, espremidos no vagão, busão, lotação, enfrentando grandes distâncias entre nossas casas aos centros econômicos, aos centros de lazer, aos centros do mundo.

Nós, que resistimos a cada dia com a arte da gambiarra – criatividade e solidariedade. Nós, que fazemos teatro na represa, cinema na garagem e poesia no ponto de ônibus.

Nós, que adoecemos e padecemos nos prontos-socorros e hospitais sem maca, médico, nem remédio.

Nós, que fortalecemos nossa fé em dias melhores com os irmãos na missa, no culto, no terreiro, com ou sem deus no coração, coerentes na nossa caminhança.

Nós, domésticas, agora com carteira assinada. Nós, camelôs e marreteiros, que trabalhamos sol a sol para tirar nosso sustento. Nós, trabalhadoras e trabalhadores, que continuamos com os mais baixos salários e sentimos na pele a crise econômica, o desemprego e a inflação.

Nós, que entramos nas universidades nos últimos anos, com pé na porta, cabeça erguida, orgulho no peito e perspectivas no horizonte.

Nós, que ocupamos nossas escolas sem merenda nem estrutura para ensinar e aprender. Nós, professoras e professores, que acreditamos na educação pública e não nos calamos e falamos sim de gênero, sexualidade, história africana e história indígena – ainda que tentem nos impedir.

Nós, que somos apontados como problema da sociedade, presas e presos aos 18, 16, 12 anos, como querem os deputados.

Nós, cujos direitos continuam sendo violados pelo Estado, levamos tapa do bandeirante fardado, condenados sem ser julgados, encarcerados, esquecidos, quando não assassinados – e ainda dizem: “menos um bandido”.

Nós, mulheres pretas da mais barata carne do mercado, que sofremos a violência doméstica, trabalhista, obstétrica e judicial, e choramos por filhos e filhas tombados pelo agente do Estado.

Nós, gays, lésbicas, bissexuais, travestis, homens e mulheres trans, que enfrentamos a a violência e invisibilidade, e não aceitamos que nos coloquem de volta no armário.

Nós, que não aceitamos nossa história contada por uma mídia que não nos representa e lutamos pelo direito à comunicação. Nós, que estamos construindo, com nossa voz, as próprias narrativas: poesia falada, cantada, escrita.

Nós, que sempre estivemos nas ruas, nas redes, nas Câmaras, na cola dos politiqueiros de plantão e que agora somos taxados de terroristas por causa de nossas lutas. Nós, que aprendemos a fazer até leis para continuar lutando por nossos direitos. Nós, que garantimos a duras penas o mínimo de escuta em espaços de poder, não aceitamos dar nem um passo atrás.

Nós, que somos de várias periferias, nos manifestamos contra o golpe contra o atual governo federal promovido por políticos conservadores, empresários sem compromisso com o povo e uma mídia manipuladora.

Não compactuamos com quem vai às ruas de camisa amarela com um discurso de ódio, fascista, argumentando o justo “combate à corrupção” mas motivado por interesses privados. Não compactuamos com quem defende a quebra da legalidade para beneficiar a parcela abonada da população, em troca do enfraquecimento do Estado Democrático de Direito pelo qual nós dos movimentos sociais periféricos lutamos ontem, hoje e continuaremos lutando amanhã.

Nós, que sabemos que a democracia real será efetiva apenas com a ampliação de direitos e conquistas de nosso povo preto, periférico e pobre, a partir da esquerda e de baixo pra cima.

Nós, que conquistamos só uma parte do que sonhamos e temos direito, não admitimos retrocesso. Reivindicar o respeito à soberania das urnas e a manutenção do Estado Democrático de Direito. Reivindicamos as ruas enquanto espaço de diálogo, debate e fazer político, mas nunca como território do ódio. Reivindicamos nossa liberdade de expressão, seja ela ideológica, política ou religiosa. Reivindicamos a desmilitarização das polícias, da política e da vida social. Reivindicamos o avanço das políticas públicas, dos direitos civis e sociais.

Não vai ter golpe. Não vai ter luto. Haverá luta!

Assinam este manifesto os grupos, coletivos, organizações e movimentos da sociedade civil, além de cidadãos em geral que subscreveram individualmente:

Abayomi Ateliê
Ação Educativa
Agência Mural de Jornalismo das Periferias
Agencia Popular Solano Trindade Banco Comunitario Uniao Sampaio Observatorio Popular de Direitos
Agenda Preta
Aláfia
Algodão de Fogo
Ninguém Lê
Sessão de Fatos
Aliança Negra Posse
Anomia Coletivo
Associação cultural História em Construção
Associação Cultural Literatura no Brasil
Associação de Arte e Cultura Periferia Invisível
Associação de povos e comunidades Tradicionais de matrizes africanas e Afro brasileira Katina da Silva
Associação dos Moradores do Caranguejo –
Associação Franciscana DDFP
Audácia – Q.I. Alforria
Baobá Arte e Educação
Bloco do Beco
Blog Combate Racismo Ambiental
Blog Inspiração Sustentável
Blog NegroBelchior
Bocada Forte
Brechoteca Biblioteca Popular
Casa do Menor Trabalhador-RJ
Casa Popular de Cultura de M’Boi Mirim
Cia Humbalada de Teatro
Cia Janela do Coletivo
CicloZN
CineBecos
Claudias,Eu?Negra!
Comitê Juventude e Resistência Z/S – SP
Coletivo Brincantes Urbanos
Coletivo Candeia
Coletivo Cultural Marginaliaria
Coletivo Cultural Pic Favela
Coletivo Cultural Sankofa
Coletivo de fotógrafos Lente Quente/Jornalismo UEPG
Coletivo de Negras e Negros EACH
Coletivo Eletro Tintas
Coletivo em Silêncio, Reage Artista
Coletivo Encontro de Utopias
Coletivo FABCINE
Coletivo Juventude Ativa
Coletivo literario Sarau Elo da Corrente
Coletivo Mjiba
Coletivo Muros que Gritam…
Coletivo Perifatividade
Coletivo Pretas Peri
Coletivo R.U.A.
Coletivo Tenda Literária
Coletivo Verde América
Coletivo Voz da Leste
ColetivoFilhas da Luta
Comitê Juventude e Resistência Z/S – SP
Comitê Popular de Santos pela Verdade, Memória e Justiça
Companhia Teatral Sama Elyon
Comunidade Cidadã
Correspondência Poética
DCE Novo Mané – Diretório Central dos Estudante da UTFPR – Campus Londrina
EITA AÇÃO CULTURAL
Expansão CT
Favela, uma foto por dia
FECEB RN
Fome Noise
Fórum Municipal de Trabalhadores do SUAS – Belo Horizonte
Grupo Clarianas
Grupo Clariô de Teatro
Grupo de Coco Semente Crioula
Grupo Pés Esquerdos de Teatro Feminista
Grupo Tortura Nunca Mais de São Paulo
Guardiões Griô
Imargem
Jornal Vozes da Vila Prudente
jornalistas livres
Juventude Politizada Parelheiros
Kilombagem
labExperimental.org
Levante Popular da Juventude
MAP (Movimento Aliança da Praça)
MASSAPEARTS
Movimento Cultural Ermelino Matarazzo
Movimento Cultural Grajau
Movimento Hip-Hop Organizado (MH2O)
Movimento Independente Mães de Maio
MQG
Núcleo de Direitos Humanos da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo
Núcleo de ensino, pesquisa e extensão Conexões de Saberes na UFMG
Núcleo Mulheres Negras
Nuraaj – núcleo de referência em atenção à adolescência e à juventude – Instituto Sedes Sapientiae
Observatório da Juventude – Zona Norte
Parceiros em Luta
Periferia em Movimento
Piratas Urbanos
Praçarau
Projeto Tipo Ubuntu
Quilombacão
Quilombação
Raiz criola
Rede Liberdade
Rede Pipa
Rede Popular de Cultura Mboi Campo Limpo
Rodas de leitura
Samantha
SAMBAQUI
São Mateus em Movimento
Sarau do Grajaú
Sarau do Pira
Sarau O que dizem os Umbigos?!
Sarau Preto
Sarauzim Mesquiteiros
Shabazz Empire
TRÓPIS iniciativas socioculturais
Uneafro Brasil

Como faço para assinar o Manifesto?

Nome de quem assina o manifesto individualmente (Militante, artista ou cidadão em geral)
Sua resposta
Nome do grupo, coletivo, movimento, organização que assina o manifesto coletivamente
Sua resposta
Contato
Sua resposta
ENVIAR

Manifesto contra o retrocesso e a favor da reeleição de Dilma Rousseff

10603769_878457225518747_7676679657114893429_n

Nós, movimentos e coletivos artísticos, culturais, sociais, políticos e religiosos, organizados que subscrevem este texto, atuantes nas periferias de São Paulo, vimos por meio deste declarar nosso voto contra a direita autoritária, preconceituosa e excludente representada na candidatura de Aécio Neves do PSDB. Diante do atual cenário político, acreditamos que a oposição a esta ideia se representa na candidatura de Dilma Rousselff.

Como trabalhadores e trabalhadoras, moradores de favelas e periferias da cidade de São Paulo, temos presente na memória a barbárie que se instalou nestas regiões quando o PSDB governou o país entre os anos de 1995 e 2002. Também sentimos na pele a política deste partido à frente do governo do estado de São Paulo.

Os governos do PSDB têm representado a criminalização dos movimentos sociais; a repressão contra a população pobre, preta e periférica e o preconceito contra os diferentes setores marginalizados da sociedade como os negros, índios, diferentes orientações sexuais e religiosas, nordestinos e pobres em geral.

Preocupados com o retrocesso político e social proposto pela classe social que o PSDB representa, afirmamos nossa opção pela vida e contra a barbárie, ao apoiarmos a candidatura de Dilma Rousseuff para a presidência do Brasil.

No entanto, gostaríamos de pontuar algumas pautas muito importantes para a população moradora da periferia de São Paulo e da periferia dos grandes centros urbanos do país. Estas pautas incidem diretamente em nossas vidas, e devem ter uma atenção maior por parte daqueles que ocupam os principais cargos públicos.
Reivindicamos que o Governo Federal assuma o compromisso de priorizar Políticas Públicas de Estado para a população pobre, preta e periférica, assim como o fortalecimento dos movimentos sociais e dos setores historicamente marginalizados como os índios, negros e o combate a homofobia.

Destacamos e exigimos prioridade nos pontos elencados a seguir:

– Demarcação de todas as terras indígenas e quilombolas (observa-se que as da cidade de São Paulo estão na mesa do Ministro José Eduardo Cardozo – Assina Cardozo);
– Reforma urbana;
– De maneira imediata, exigimos multas e desapropriações de terrenos e imóveis que não cumprem sua função social;
– Pelo fim dos despejos;
– Reforma agrária;
– De maneira imediata, exigimos a desapropriação das fazendas que se utilizam de trabalho escravo, com punição aos responsáveis;
– Combate ao uso de agrotóxicos na produção alimentar;
– Investimento na produção agrícola realizada pelo pequeno agricultor;
– 10% PIB pra Educação Pública, Gratuita e de Qualidade;
– Saúde 100% Pública, Gratuita e de Qualidade;
– Pela legalização do aborto;
– Ampliação de ações de combate a violência doméstica e da mulher;
– Pela criminalização da homofobia;
– Democratizar os meios de comunicação e suas concessões (abertura das rádios e TVs comunitárias);
– Pela instituição de uma constituinte exclusiva e soberana para a reforma do sistema político;
– Criação de uma agenda permanente de encontros regulares com os movimentos sociais;
– Redução da jornada de trabalho de todas e todos trabalhadores para 40 horas semanais. Mais tempo livre para família, estudos, lutas e ócio já!
– Criação e aprofundamento de mecanismos de participação popular;
– Pela taxação das grandes fortunas;
– Fim imediato da violência policial; e desmilitarização das polícias;
– Por uma política nacional de desencarceramento;
– Punição imediata dos responsáveis pelo genocídio da população preta, pobre e periférica;
– Consolidação da Defensoria Pública e de sua interlocução popular;
– Punição imediata dos responsáveis pelos crimes cometidos na Ditadura Militar (1964-1985);
– Criar Comissão da Verdade para punir os crimes na Democracia;
– Pela abertura de uma CPI para investigar e punir os responsáveis pelos mais de 500 incêndios em favelas ocorridos entre 2008 e 2012 no município de São Paulo;
– Construção do Memorial da Memória e da Verdade nas Periferias no período Ditatorial e no pós-ditatorial;
– Transporte 100% público, gratuito e de qualidade;
– Aumento dos investimentos em infraestrutura nas periferias urbanas, com melhora da qualidade dos transportes e construção de mais linhas de metrô nessas regiões, com recursos federais;
– Pelo aprofundamento dos processos de integração com países latinoamericanos e africanos;
– Garantia de internet gratuita de qualidade para todo território brasileiro;
No âmbito cultural, reconhecemos avanços em programas como o Cultura Viva e os Pontos de Cultura, dentre outros. No entanto, seguem abaixo pautas importantes que julgamos serem necessárias para produzirmos mais arte e cultura e de melhor qualidade, fundamentalmente aquela produzida pela população moradora da periferia:

– 1% do PIB para a cultura pública (ou seja, financiamento direto);
– Fim das Leis de renúncia fiscal;
– Criação de Políticas Culturais Públicas de Estado estruturadas em Lei priorizando as áreas com alto índice de vulnerabilidade social;
– Defesa e Promoção das culturas tradicionais (indígenas, terreiros, ciganos, imigrantes) para o combate a intolerância cultural e religiosa;
– Ampliação dos equipamentos para produção e promoção de cultura nas periferias urbanas e rurais (casas de cultura, bibliotecas, teatros, cinemas, etc.);
– Atendimento e fortalecimento das propostas levantadas nas conferências de cultura municipais, estaduais e federal;
– Ampliação do Plano Juventude Viva no combate ao racismo institucional que promove o genocídio da juventude pobre, preta e periférica;
– Avançar na promoção da cultura voltada para a primeira infância, terceira idade e pessoas com deficiência;
– Criação conferencia de cultura para infância;
– Aprovação imediata da PEC 150 (garantia de recursos para a cultura);
– Votação Imediata da Lei PNLL e a implementação dos PMLLs (Plano Nacional do Livro e Leitura);
– Garantir que pelo menos 10% dos recursos do Fundo Social do Pré-Sal sejam destinados à Cultura;
– Aprovação da lei Griôt;
– Ampliar os programas VAI e Agentes Comunitários de Cultura para todo Território;
– Criação de lei de apoio a ocupação de espaços públicos ociosos e/ou abandonados, por coletivos culturais locais;
– Ampliar a ações intersetoriais entre Cultura, Educação, Esporte e Economia Solidária e Direitos Humanos;
– Incluir o Futebol de Várzea dentro das políticas de cultura do MINC;

Cremos que somente amplas mobilizações populares podem de fato fazer avançar estas pautas. Nos comprometemos a construí-las. Contamos com o apoio do governo Dilma Rousseff.

Cabe ressaltar que temos plena consciência dos limites da via eleitoral. No entanto, segue sendo uma trincheira de luta, dentre outras. Abandonar esta trincheira por completo, neste momento, pode decorrer em graves consequências para o país, principalmente para as classes populares.

Um pé no voto, uma vida na luta!

Outubro de 2014

Convocamos todas as coletividades periféricas à ler e assinar o manifesto.
Assinam este documento diversas coletividades culturais periféricas de São Paulo e Brasil, dentre elas:

A Princesa da Zona Urbana
Academia de Letras
Ação Griô Nacional
Agência de Redes para Juventude
Agência Popular de Cultura Solano Trindade
Associação Anacreff (coletivo folha verde jardim felicidade)
Associação Cultural e Educacional Movimento Hip Hop Revolucionario – MH2R
Associação Cultural Liga do Funk
Associação de Juventude do Real Parque
Associacao de Moradores em Busca de Melhorias Comunitarias (AMBMEC)
Associação dos Moradores do Jd Casa Branca
Associação Jardim Helian
Associação Quilombola Ilê Amadê
Banco Comunitário União Sampaio
Banda Nhocuné Soul
Bando Trapos
barracao cultural/etnia
BlocodoBeco
Blogueiros Progressistas
Brava Companhia
Brincantes Periféricos
CAP – Coletivos Culturais Cidade Ademar e Pedreira
Capão Cidadão
CDHEP – Centro de Direitos Humanos e Educação Popular Capão Redondo.
Central Periférica – CTBA
Centro de Inovacao Popular
Cia de Artes Decálogo JALC
Cia de artes do BAQUE BOLADO
Cia Humbalada de Teatro
Cia Lelê de Oyá
Cia Mapinguary
Cia Teatro Documentário
Cine Campinho
Cine Real Favela
Coletivo ALMA
Coletivo Buteclã
Coletivo Capivara
Coletivo Carolina de Jesus
Coletivo Contraponto
Coletivo Correspondêcia Poética
Coletivo Cultural Caco de Tela
coletivo cultural marginaliaria
Coletivo Cultural Sankofa
Coletivo de Dois +1
Coletivo Dedoverde
Coletivo Geografizando na rua
Coletivo Hip + Hop = A Paz “E seus Elementos como Cultura de Transformação”
Coletivo Imargem
Coletivo Moinho
Coletivo Muros que Gritam…
Coletivo O ESTOPIM
Coletivo Perifatividade
Coletivo UrGente
Coletivo Vai Jão
Como lá em Casa TEaro e Cia Bella
Comunidade Cidadã
Comunidade Cultural Quilombaque
Comunidade Samba da Vila
Comunidade Samba&Paladar
Conexão Circo
Conselheira da Cultura em Taboão da Serra- Representando a Cultura Popular.
Cooperativa Paulista de Teatro
Cooperativa Paulista de Teatro
Cordão Carnavalesco Boca de Serebesqué
DJ Erry-g
Dolores Boca Aberta Mecatrônica de Artes
Edições Toró
Edições Toró/Literatura Periférica de SP
Edições UM por TODOS
Elen Linth – Cinema
ENGENHO TEATRAL
ENGRENAGEM URBANA
Escritório de Advocacia Mendes & Sales
Espaço Comunidade
Espaço Cultural CITA
Et Panis Coletivo de Teatro
Família Pais Malio
Fatima Cogo, Vitória. ES
Federação Paulistana de Artístas – FEPAMA
Fiandeiras Real Parque
Fórum DCA de São Mateus SP
Fórum de Cultura da Zona Leste
Fórum de Cultura de São Mateus
Fórum Permanente de Cultura de Taboão da Serra
Grêmio Rede Emancipa e Juntos Zona Sul
Grupo doBalaio
grupo encenação
GRUPO FAMILIA CJ
Grupo Redimunho de Teatro
Grupo Teatral Parlendas
Grupo Zoooom
Guerreiros Produçãoes Artísticas
Instituto Kreuzz Educação, Cultura e Sustentabilidade
Instituto Pombas Urbanas
Isabela Fernandes da Luz
Jenyffer Silva do Nascimennto
Jongo de Guaianás
Jornal Você em Foco
Jornal Voz da Comunidade/ Complexo do Alemão – RJ
Katia Regina de Souza Costa
L.O.V.E.
Lentes Periféricas
Levante Popular da Juventude – Célula Leste
Liga do Funk
Literatura Periferica
Lucas Wrigg – Agente Comunitário de Cultura de São Paulo
menor slam do mundo
Movendo Atitudes
Movimento Cultural Grajaú
Movimento Cultural Penha
Movimento Nacional dos Pontos de Cultura
Mundo em Foco
Núcleo Fervo
Observatório da Juventude
Observatório da Juventude – Zona Norte
PELAARTE&PROSA
PELAARTEAZUERA
Periferia em Movimento
Periferia Invisível
Pés de Moleque
Pessoal do Faroeste
Ponto de Cultura Casa Vivarte espaco de Arte e Cultura de Rio Branco -Acre
Ponto de Cultura Fazenda da Juta
Ponto de Cultura Inventor de Sonhos
Ponto de Cultura NINA
Ponto de Cultura Periferia Invisível
Praçarau
Produtora Cultural A BANCA
Projeto Flexões
Projeto Hip Hop no Monte
RBBC – Rede Brasil de Bibliotecas Comunitárias
Reação Arte e Cultura
Rede de Educação Cidadã
Rede M´Boi Mirim/Campo Limpo
Rede São Mateus em Movimento
Rede Usina Geradora
Reggart
Rodoviários da Viação Piracicabana DF
Rua de Fazer
Sacolão das Artes
Sarau A Voz do Povo
Sarau da Ademar
sarau do burro
Sarau dos Mesquiteiros
Sarau na Quebrada
Sarau na Vila em Movimento/Santos
Sarau Verso em Versos
selo doburro
Setorial Nacional LGBT do PT
Sexta Socialista
Slam da Guihermina
Sustentabilidade mineira
Teatro Contadores de Mentira
Teatro Documentário
Tenda Literária
Trupé na Rua
Trupe Trupé
TV DOC CAPÃO
TV DOC FUNDÃO
TV DOC INCLUI
UMOJA
Usina dos Atos
Vila do Sossego
Voz da Leste
Vozes das Comunidades da Vila Prudente
Yaquatro Produções Artísticas
Os cidadãos e cidadãs assinam este documento:

Ademir Teixeira
Adriana Nunes
Aládio Bruno
Alcides Sales Filho e família (05 pessoas).
Alex Barcellos
Alex Barcellos
Alexandre Mate (professor-doutor da UNESP)
Allan da Rosa
Ana Cristina Alexandre de Souza
Ana Flávia LIma da Silva / Flávia D’Álima (Atriz)
Ana Júlia de Mattos
Ana Paula do Val
Ana Silvia Andrade
Anderson Franco do Nascimento
Anderson Garcia (lorde) Programa É Tudu Nosso – SP/zl – Itaquera.
André Bueno
Aoimono
barbara educadora social
Beatriz Camacho Macedo Bravo
Beto Custódio
Bloco do ” Eu Sozinha Central Única!!! Voto 13
Brunno Henrique Moura
camila leite
Carol Protesto.
Carolina Abreu
Carolina de Vasconcelos neves professora da rede pública de SP
Carolzinha Teixeira
Caru Schwingel
Cayo Honorato
Cesar Gouveia
Cibele Junqueira Milreu
Clayton Soares dos Santos, professor, em Teixeira de Freitas, BA.
Cleide Almeida
Cléres Almeida de Oliveira
Clodoaldo Barnabé Cajado
conceiçao
Cristiane Rosa
Dagmar Professora
Daiene Mendes
Dani Brandão
Danielle Regina de Oliveira – Mostra das Rosas
Dêssa Souza
Diego Alves
Diego Oliveira
Eduardo Brechó
Edvaldo Santana
Eliane R. Batista
Eloan Ferreira Cardoso
Elza Lima
FAUSTO DOMINGOS
Felipe Augusto Costa Goes
Felipe Rodrigues
Fidel
Francisco José Pires – Artes Visuais
Gal Souza
Geise Pereira da Silva
Geisson Silva
Gisele Bittencourt
Gleide Oliveira dos Santos
Heloá Bueno
Ieda guedes
Insituto Paulista de Juventude – IPJ
Instituto Acqua
Instituto Dandara
IQFENIX
Jacyara Barros
Jamir Nogueira/Cena Norte
Janicarla da Silva
Jeferson Barbosa da Silva
Jessica Sousa
João LuizFranzen
José Américo
José Juvenal Gomes
Joseh Silva
Kaique Santos
Lica Diaz
Ligia Maria vids
Lilia Maria Vicentin /pontine virgils
Lílian Leite de Oliveira ( corretores de imóveis)
Lucas Rocha
Lucilene de Freitas
LUIZ CARLOS MOREIRA
Magno de Oliveira Duarte
Marcelo de Oliveira Souza
Marcelo Maria Gonçalves
Marcia Oliveira
Marcos Costa
Marcos guilhermina
Maria Amélia M.Branco
Maria Lúcia Marcondes Macedo
marialourdesm15@gmail.com
Mateus de Carvalho
Mauricio de Mesquita Marchi
Monica Alves/ Mesquiteiros
Narany Mireya
Natalice Saturnino
Nena Machado
osair sam
Osvaldo Pinheiro da Silva
Pamela Lima Pereira
Patricia Crepaldi (professora)
Paulo Piza
Pedro Braga da RUBRA Cia de Teatro
Ponto de Cultura Oficina dos Sonhos
Priscylla Tolone
Professor Perivaldo Nascimento Matos
Regina Cardoso da Silva
Reinaldo Santana
Renata Orlandi – Escritora/Poeta/Militante
Riane Nascimento – Técnica de som
Rinaldo S. Lucas(Professor)
Rogerio Gonzaga
Rogério Munhoz Gabiru
Rosa Maria Falzoni
Samantha Ribeiro
Samuel Sasso
sedima marciano
selma maria barreto / coletivo de um só “felicidade sim”
Tatisarauambulante
Terezinhagnoatto, professora
Thiago Felix
Thiago Vinicius
Todyone o professor
Tom Altman
Ulysses
Valéria Virgínia Lopes
Verter Paes Cavalcanti
Victória dos Santos Cheles
Vinícius Persou
wagner souza correia
Wagner Tadeu
Waldemar Luiz Tenório de Lima
Warley Alves Barbosa
Ygor Alves

PERIFERIA COM DILMA

10291094_877404352290701_8492006662411522660_n

Na próxima segunda-feira, dia 20/10, Movimentos de Cultura, Comunicação, Juventude, Direitos Humanos e Moradia estarão juntos em um grande ato: Cultura e Juventude – Periferia com Dilma.

Durante o ato será entregue o Manifesto dos Coletivos Periféricos em Apoio à Dilma Rousseff. Leia na íntegra e assine: http://bit.ly/1wROgy2

Com a presença de Dilma e Lula, o ato ocorrerá na Zona Leste de São Paulo, na Praça Brasil, na COHAB 2 do José Bonifácio, em Itaquera.

Veja só como chegar ao ato, que começa às 17 horas!

1901375_879950035369466_9207509043673253474_n